.post a img, .post img { width: 695px; height: auto; padding: 0; margin: 0px -40px 0px -40px; border: none; } -->

28 junho 2018

Um banho para aquecer a alma

Photo by Florian Pérennès on Unsplash
O dia amanheceu com um sol quente, ardia a cabeça de quem ousasse enfrentar pelas ruas, na janela ou até desse uma saidinha na porta. Mal sabiam que ao entrar pela tarde, tudo mudaria completamente. Me senti abraçado pela brisa fria que entrava pela janela aberta da sala, a ventania gelada que vinha leve e calma, dançava pela sala inteira e mostrava para o que tinha vindo.

Abracei-a também, recebi o seu frio com o corpo quente, abracei os meus sentimentos mais confortantes para este momento. Deixei-me flutuar na sua frieza, no céu só havia o cinza das nuvens, a neblina não tinha descido, logo não atrapalhava tanto de ver o horizonte que estava sendo molhado cada vez mais pela chuva, e o frio se aproximava da rua, assim como as gotas d'água. E a cada gota, uma letra era digitada pelos meus dedos, que com muita sede de escrever enquanto queimava por dentro, continuava rápido e decidido no teclado.

Acho que algo quente cairia bem, um banho melhor ainda. Enquanto esperava a água esquentar, minha pele arrepiava com o carinho da brisa, o resultado da publicação ficava cada vez melhor, a caixa de e-mails estava parada e as redes sociais cada vez mais movimentadas, acho que queriam falar algo de grande importância comigo. Mas precisava de um momento de paz, um segundo comigo mesmo, me sentir eu. A água escorria pelo corpo, livrando-me do frio, acalmando minhas tensões, recuperando os meus ânimos. Me deixando completamente aliviado e determinado. Esperando minha alma finalizar a sua performance de alegria e felicidade, um sentimento de liberdade que pairava por todo o meu corpo.

E a alma simplesmente dançou no calor da água.

2 comentários: