.post a img, .post img { width: 695px; height: auto; padding: 0; margin: 0px -40px 0px -40px; border: none; } -->

29 agosto 2018

O que a internet me ensinou

Photo by Micaela Parente on Unsplash
Eu tenho oito anos na blogosfera, e olhando tudo que vivi dentro deste mundo virtual e comparando com o cenário atual, vejo que muita coisa realmente mudou - alguns para melhor e outros só fizeram decair.

Ontem a noite estava revendo alguns vídeos antigos de um dos meus youtubers favoritos, o Enrique Coimbra, que já fiz resenha de um dos seus livros aqui no blog. E, de certa forma, acabei tendo algumas inspirações e como o Enrique aborda assuntos reais que envolvem pessoas que são como ele - jovens ansiosos -, minha cabeça fez buscas dentro do meu interno e ao contrário do que muitos dizem, a internet me trouxe dezenas de boas experiências e conhecimentos que foram além do meu eu blogueiro, entrou pro meu pessoal e resolveu diversas das minhas frustrações apenas existindo e fazendo parte do meu cotidiano. 

Hoje eu falo sobre marketing de conteúdo, mas antes estava produzindo conteúdo de moda e códigos html, foi uma evolução enorme, tendo os meus comportamentos fora do virtual como o impacto real para a mudança dos meus hábitos. 
A internet me apresentou um dos meus problemas que não tinha conhecimento, a ansiedade, e alguns vídeos do Enrique foram cruciais no meu aprendizado do que poderia fazer para deixa-la no mínimo possível, hoje, felizmente não tenho mais ansiedades incontroladas e não fico mais inquieto, usando a escrita como hábito diário para manter-me concentrado e calmo, apesar das circunstâncias. Eu aprendi a não desistir tão fácil assim, afinal, são 8 anos de blogosfera e criação de conteúdos independentes pela internet.

Com a internet, eu aprendi...


  • A escrever melhor e mais rápido
  • Ser mais criativo e produtivo
  • Me organizar melhor
  • Ser cada vez mais o melhor de mim
  • Controlar a minha ansiedade
  • Justificar respostas - muito importante.
  • Pensar fora da caixa - totalmente. 
  • Compreender assuntos fora da minha bolha
  • Resolver os problemas sociais - pelo menos ao meu redor.
  • Saber que menos também pode ser mais
  • Criar hábitos diários para manter a minha ansiedade controlada.


E apesar de tudo isso, eu aprendi a viver fora dela sem sentir nenhuma falta de tudo isso. É um lugar mais tranquilo, dentro da minha bolha, apesar de ter diversos comentários disseminando ódio por ai sem ter um pouco de empatia, mas também há muita coisa de bom e que está repercutindo com intuito de conscientizar as pessoas para não fazerem merdas quando as eleições chegarem, um dos que estou sendo fiel e acompanhando, é a Jout Jout que de forma bem humorada na maioria das vezes, consegue dar uma aula de história e fazê-las pensar sobre em quem realmente deve votar, pensando no seu melhor, e também no próximo - de preferência.

A internet, hoje, é o mecanismo que mais impacta as pessoas de forma direta, o que aprendi foi só um pouco de tantos outros que poderiam deixar a postagem gigantesca. Mas o que quero realmente dizer, é que, utilizar o mundo virtual como forma de aprendizado sobre o que está acontecendo lá fora também é viável e pode ser uma rica experiência para todos nós. Não há motivos para ser ignorante por falta de informação, hoje - felizmente -, temos centenas de Drag Queens fazendo sucesso, pessoas negras ingressando na liderança de mercado e tendo alta visibilidade naquilo que faz dentro da internet, mulheres lutando pelos seus direitos cada vez mais, a Parada LGBTQIAP+ aumentando cada vez mais o número de participantes na caminhada e cada vez mais uma quebra de padrão dentro dos mecanismos digitais e propagandas físicas também, o magro deixou de ser sinônimo de beleza e o natural está sendo aceitável pelos próprios donos do corpo. Agradeço por ter sido premiado pelo lado informativo da internet e não o tóxico.

Não existem motivos para defender um ser tóxico, a pessoa é ignorante por si só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário