.post a img, .post img { width: 695px; height: auto; padding: 0; margin: 0px -40px 0px -40px; border: none; } -->

30 outubro 2018

Seremos sempre resistência

Eu ainda não respirei tranquilamente, mas estou bem melhor que o dia anterior. Estou com um sentimento de contradição e tudo deixou claro que, estamos longe da nossa democracia. Apesar de ter sido democraticamente, o novo presidente é um extremo conservador e isso assusta diversos grupos sociais que são tratados e taxados como minorias, muito pelo contrário somos maiorias e estamos cada vez mais resistindo e agora mais do que nunca: somos 56% de pessoas não-brancas, 52% de mulheres, somos um país com uma grande liberdade e diversidade cultural, étnico-social e sexual, e agora estamos sendo obrigados a recuar para não perdermos a vida, sermos atacados ou desmoralizados simplesmente por exercermos a nossa posição política, por aqueles que de nominaram como homens de bem, lutando pela ordem e moral do país, levantando temas que mal detém do conhecimento para poder defender-te e anular qualquer possibilidade de argumentação.

De fato, ainda acredito que algumas pessoas que votaram no Bolsonaro estavam com receio do que poderia acontecer com mais um governo petista em nosso país, pois, apesar de ter iniciado a sua sessão de vitórias muito bem, com um ótimo desenvolvimento focando no crescimento dos mais pobres, mas abriu a porta para aqueles que mais tarde iriam golpear o governo da ex-presidenta Dilma, que agora com novas delações, mostram que a ração do seu impeachment foi a sua oposição aos esquemas de corrupção que estavam se formando dentro do Congresso.  E ainda há pessoas que negam o golpe.

Eu não tenho medo do governo bolsonarista, apesar de ter muita preocupação com as suas futuras ações, mas tenho pavor daqueles que o apoiaram e agora comemoram em diversas cidades do país a sua vitória, com uma prévia de maldade que guardavam ansiosamente para este momento. Havia sim violência a todos os grupos, mas agora estamos com um sentimento de que o governo dará a liberdade para essas pessoas cometer os atos de violência, é essa a segurança que eles estão sentindo. Estou vendo deputada eleita do partido criando canal de denúncia á professores que se opôr ao então presidente; teremos uma onda conservadora ganhando força no decorrer do mandato; influenciadores digitais que declararam estar sendo oposição ao candidato, está sofrendo ameaças e comentários racistas por utilizar da sua liberdade de expressão; temos apoiadora do Jair vestindo o seu filho de escravo para a festa de Halloween da escola. É essa a gente de bem que procura a melhora do país ou a prática livre dos seus preconceitos?
"Na madrugada de ontem para hoje, recebi mensagem de mais de 50 pessoas para repassar uma cartilha de autoproteção para LGBT+"
Tenho agora um presidente que prometeu acabar com todo ativismo do país, banir os bandidos vermelhos, inventando mentiras para sair por cima - e depois, negar tudo para se aproveitar do calor do momento. Um dos componentes da sua cúpula também prometeu novas biografias para as escolas sobre a 'verdade' sobre o golpe de 1964 (ao que chame de regime). Fundir o Ministério do Meio Ambiente com o da Agricultura também continuou sendo pauta, enquanto cogita diminuir a maioridade penal para 14 anos. Eu não sei se todos irão entender a gravidade do que está acontecendo com o autoritário como presidente, nem todos estão dentro da minha vivência e da minha bolha. Mas espero que saiam dela e percebam a gravidade do extremismo que chegou ao poder.  

2 comentários: